quinta-feira, 15 de junho de 2017

Cetas Tangara acolheu 5.131 animais silvestres nos cinco primeiros meses do ano

Em maio, Centro de Triagem da CPRH teve movimentação recorde: entraram 1.529 e 642 foram devolvidos à natureza (Foto: Divulgação/CPRH)

Uma movimentação bastante expressiva vem se registando, dia a dia, no Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH). O balanço dos primeiros cinco meses de 2017 registra a entrada de 5.131 animais de espécies diversas, entre aves, mamíferos, répteis, aracnídeos e os considerados exóticos (calopsitas, por exemplo). O último mês do período, maio, foi o que registrou o maior número de entradas, até agora: o recorde veio com 1.529 novos ‘visitantes’, enquanto 642 foram soltos após serem cuidados e preparados para a soltura.

O Cetas funciona desde março de 2016 numa área de 2,6 hectares que fica no bairro da Guabiraba, no Recife. É para lá onde são encaminhados os animais silvestres vítimas de acidentes e os resgatados, além dos muitos que são vítimas do tráfico, apreendidos em operações de fiscalização da própria CPRH e/ou de órgãos e entidades parceiras. Lá eles são cuidados e preparados para serem, posteriormente, devolvidos aos seus habitats naturais, em áreas de solturas do Estado monitoradas pela Agência.
A movimentação crescente no Cetas se deve, em parte, à atuação mais ofensiva da 1ª Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma), da Polícia Militar, com ações de fiscalização constante no Grande Recife e outras regiões do Estado. Estima-se, hoje, que de 30% a 40% dos animais levados ao Cetas sejam justamente os resgatados e apreendidos por policiais do Cipoma, às vezes em operações que têm a participação de agentes ambientais da CPRH. Na última, terça-feira (13) nos bairros da Torre e Dois Irmãos, no Recife, 32 aves – entre eles um papagaio-verdadeiro, espécie ameaçada de extinção – foram resgatadas.

As aves seguem no topo dos números. Em maio, dos 1.529 animais silvestres que deram entrada no Cetas, 1.377 foram aves (muitas visadas pelo tráfico), 51 mamíferos, 69 répteis e 32 classificados como exóticos. No levantamento dos cinco primeiros meses do ano, dos 5.131 que entraram, 4.500 foram aves, 268 mamíferos, 323 répteis, 36 exóticos e 4 aracnídeos.

Núcleo de Comunicação Social e Educação Ambiental - NCSEA
Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH
www.cprh.pe.gov.br


0 comentários:

Postar um comentário