quarta-feira, 17 de maio de 2017

Decreto estadual estabelece área de refúgio para única população de macacos-guariba em Pernambuco

O macaco-guariba-de-mãos-ruivas é uma espécie vulnerável (Foto: Divulgação/CPRH)

O decreto estadual 44.444/2017, publicado no Diário Oficial de hoje (17), estabelece limitação administrativa provisória em uma área de 512,83 hectares de Mata Atlântica no município de Água Preta (Mata Sul), considerada como o último refúgio do macaco-guariba-de-mãos-ruiva (Alouatta belzebul), no Estado. Ficam limitadas, na área, atividades que venham a prejudicar a qualidade ambiental do local, como a exploração ou corte raso da floresta e de outras formas de vegetação nativa, além de atividade que causem degradação ambiental.

“É reduzidíssima, além de única, a população do macaco-guariba-de-mãos-ruiva no Estado. As pesquisas na área apontam que existem, no máximo, 20 macacos dessa espécie. Urge preservar o ambiente onde eles vivem”, explicou a chefe do setor de fiscalização da fauna da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), Joice Brito. De acordo com a União Internacional para Conservação da Natureza (UICN) o macaco-guariba-de-mãos-ruivas é uma espécie vulnerável. O desmatamento e as queimadas recorrentes colocam em risco de extinção a última população dessa espécie, em Pernambuco.

Em 2016, o Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema), criou um grupo de trabalho, com o objetivo de definir um Plano de Ação Emergencial para a proteção da área, onde os animais habitam. Os estudos realizados apresentam a necessidade de criação de uma unidade de conservação nessa área.

Núcleo de Comunicação Social e Educação Ambiental - NCSEA
Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH


0 comentários:

Postar um comentário