domingo, 7 de maio de 2017

CPRH partilha mudas e informação ambiental no Dia do Pau-Brasil

O pau-brasil pode atingir até 30 metros de altura em floresta nativa e se cobre de flores amarelas nos meses de outubro e novembro (Foto: CPRH)

A Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) celebrou, na última quarta-feira (03), o Dia do Pau-Brasil presenteando três escolas da região metropolitana com mudas da espécie que deu nome ao País. As escolas estão próximas ou dentro de Unidades de Conservação do Estado: Escola Isaura de França, em Abreu e Lima, no entorno da ESEC Caetés; Escola Municipal João Bento Paiva, em Itapissuma, na APA de Santa Cruz; e Escola Estadual Escritor Maximiano Acioly Campos, em Sirinhaém, na APA de Guadalupe.

Técnicos da Unidade de Educação Ambiental da CPRH produziram as mudas a partir de um exemplar da espécie localizado no jardim da Agência, no bairro de Casa Forte, e entregaram a alunos dos ensinos Fundamental e Médio para que fiquem responsáveis até que atinjam o tamanho adequado para plantio em remanescentes de Mata Atlântica nas Unidades de Conservação.
O presente, explicou a gerente de Educação Ambiental da Agência, Erica Monte, foi apenas uma parte da atividade comemorativa, que teve, na verdade, cunho educativo e proporcionou aos alunos palestras sobre questões relativas ao Bioma Mata Atlântica, ao Pau Brasil e ao papel da CPRH na proteção do meio ambiente. "Presentear foi um ato simbólico, uma ferramenta para trabalhar a conscientização dos jovens, o amor e o respeito pelo meio ambiente", disse Erica.
Esse diálogo com os jovens e adolescentes é um esforço da Agência para a proteção do pau-brasil, que se encontra, atualmente, na lista oficial de espécies da flora brasileira ameaçada de extinção. Para Jaelson, aluno do 3º ano do Ensino Médio na Escola Escritor Maximiano Acioly Campos, a experiência de pegar e observar a semente, conhecendo sobre essa espécie tão particular no Brasil, foi nova e prazerosa. "Gostei de conhecer as curiosidades sobre o pau-brasil e acho importante aperfeiçoar o conhecimento sobre a natureza e sua preservação", comentou o estudante.

O pau-brasil pode atingir até 30 metros de altura em floresta nativa e se cobre de flores amarelas nos meses de outubro e novembro. A atividade comemorativa no Dia do Pau-Brasil teve apoio dos gestores das Unidades de Conservação envolvidas: Adeilton Vidal e Paulo Pessoa, da APA de Santa Cruz; Sandra Cavalcanti da Esec Caetés; e Joany Deodato e Carlos Alberto, da APA de Guadalupe.

CPRH


0 comentários:

Postar um comentário