sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Grupo cerca delegacia e vira carro de advogado de suspeito de homicídio na BA

Grupo cerca delegacia durante apresentação de suspeito em Nova Viçosa (Foto: Arquivo pessoal)
Grupo cerca delegacia durante apresentação de suspeito em Nova Viçosa (Foto: Arquivo pessoal)

Um grupo de moradores cercou a delegacia da cidade de Nova Viçosa, na Bahia, na tarde desta quinta-feira (5), após saber que um homem suspeito de matar a facadas um jovem de 24 anos durante uma briga teria se apresentado à polícia.

O suspeito compareceu até a unidade policial acompanhado de um advogado, que teve o carro destruído pelos manifestantes revoltados com o crime. O veículo, que estava estacionado em frente à delegacia, foi tombado pelos populares, segundo informou a Polícia Militar.

O homicídio ocorreu no último domingo (1º). A vítima foi Allan Paranaguá de Sá. Segundo a polícia, ele tentou separar uma briga entre um amigo e um rapaz identificado como Jackson. A confusão ocorreu na Praia do Lugar Comum, em Nova Viçosa.

Não se sabe o que motivou a briga. Após a confusão, segundo testemunhas, Jackson teria ameaçado Allan de morte e saído do local. Depois, no entanto, o suspeito retornou e atacou Allan com uma faca.

Após ser ouvido nesta quinta, o suspeito foi liberado, mas precisou de escolta policial para deixar a delegacia. Incorformados com a liberação do suspeito, moradores apedrejaram uma viatura e a porta da unidade policial.

O G1 não conseguiu contato com o delegado responsável pela investigação do caso, na noite desta quinta, para saber o que disse o suspeito no depoimento e porque ele foi liberado.

Mesmo após o suspeito ter deixado o local, no final da tarde, os moradores continuaram a protestar em frente à delegacia, segundo informou um funcionário da unidade. O grupo de manifestantes permanecia no local até por volta das 21h30 e ameaçava colocar fogo na delegacia.

Conforme a polícia, Allan trabalhava como vendedor em uma loja de calçados da cidade e, segundo os moradores, era um rapaz tranquilo. Por conta da manifestação, o policiamento na delegacia teve de ser reforçado, segundo a PM.

Nenhum dos populares envolvidos na depredação carro do adovgado do suspeito e da delegacia foi preso porque, segundo a polícia, ainda não foi possivel identificar os responsaveis.


0 comentários:

Postar um comentário