sábado, 14 de janeiro de 2017

Em apenas 24h, Bahia registra 2ª fuga em massa de detentos

  
Presos usaram corda feita com lençóis para fugir de carceragem na Bahia (Foto: Carlos José/Site Voz da Bahia)
Presos serraram grades de cela de cadeia em
Salvador (Foto: Divulgação/Sinspeb-BA)

Vinte e um presos fugiram da carceragem da 4ª Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Coorpin) de Santo Antônio de Jesus, a cerca de 185 quilômetros de Salvador, na noite de sexta-feira (13). A informação foi divulgada na manhã deste sábado (14) pela assessoria de comunicação da Polícia Civil. Até às 10h40, apenas seis fugitivos haviam sido recapturados.

Segundo a polícia, a fuga ocorreu por volta das 23h30, quando um grupo de detentos conseguiu quebrar uma barra de ferro de uma das celas. Em seguida, de acordo com a polícia, os dententos utilizaram a mesma barra para quebrar os cadeados de outras celas e liberar outros detentos. Após isso, a Polícia Militar informou que o grupo utilizou cordas feitas com lençóis para pular o muro da carceragem. Na ação, não houve feridos.

Segundo a Polícia Civil, as buscas pelos fugitivos começaram logo em seguida e três dos detendos foram recapturados ainda na noite de sexta. Outro preso foi localizado durante a madrugada deste sábado e outros dois pela manhã. A polícia não divulgou os nomes dos detentos que fugiram, mas disse que a maioria responde por tráfico de drogas. Ainda segundo a polícia, os detentos são de média e alta periculosidade.Equipes da Polícia Civil e da Polícia Militar da cidade realizam buscas para tentar localizar os demais fugitivos. Ainda segundo a polícia, a segurança na delegacia foi reforçada após a fuga em massa.

Outra fuga
Foi a segunda fuga em massa registrada na Bahia em menos de 24 horas. Outra fuga ocorreu na madrugada de sexta-feira (13) no Complexo Penitenciário de Mata Escura, em Salvador. Ao todo, 17 detentos fugiram após serrarem as grades de uma das celas da unidade prisional, segundo informou a Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização do Estado da Bahia (SEAP).

A fuga só foi detectada pela manhã, quando os agentes penitenciários da unidade perceberam os danos na cela. A unidade prisional tem capacidade para comportar 808 presos, mas, durante a fuga, estava com 1227 detentos.

Segundo informou o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado da Bahia (Sinspeb-BA), todos os 17 presos que fugiram são de uma mesma facção criminosa que nasceu em 2015 entre os pavilhões do presídio da capital e se espalhou pelo estado da Bahia

Após a fuga em massa, o governador da Bahia, Rui Costa, determinou ao secretário de Administração Penitenciária e Ressocialização, Nestor Duarte, a exoneração do diretor da Cadeia Pública, o capitão da PM Pablo Fagner Araújo Carvalho, e do diretor adjunto da unidade prisional, Paulo Cesar Gonçalves Sacramento.

O Sindicato dos Agentes Penitenciários atribuiu a fuga à superlotação da unidade carcerária e à falta de segurança do local. Em nota, a entidade afirmou que o complexo tem número maior que o indicado de presos por cela, que faltam câmeras de vigilância, iluminação nas guaritas e vigilância da polícia nas imediações e nas guarita da unidade.

A Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap) informou que, por meio da Corregedoria, abriu uma sindicância para investigar os procedimentos de segurança da cadeia e as circunstâncias da fuga.

G1 BA


0 comentários:

Postar um comentário