quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

CPRH recebe nesta quinta 56 aves resgatadas do tráfico em São Paulo

Após desembarque no Aeroporto Internacional dos Guararapes, aves repatriadas por agência paulista serão levadas ao Cetas Tangara (Foto: Depave/Prefeitura de São Paulo)

O Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), receberá, nesta quinta-feira (5), 56 aves resgatadas em ações de combate ao tráfico de animais em São Paulo. As aves serão repatriadas pela Divisão Técnica de Medicina Veterinária e Manejo da Fauna Silvestre (Depave), da Prefeitura de São Paulo, e virão em três caixas de madeira apropriadas, em voo da Gol Linhas Aéreas. Após período no Cetas, serão soltas no Sertão do Estado.

Típicas do bioma caatinga, as aves foram apreendidas pela polícia de São Paulo e chegarão ao Recife após período de avaliação, tratamento, recuperação e reabilitação no Centro de Triagem da Divisão de Fauna da capital paulista. São 19 galos de campina, 19 papa-capim baianos, oito patativas, cinco cravinas, três sofrês (concrizes) e dois cancões. Elas virão no voo 1554 da Gol (Congonhas/Recife), com embarque às 10h30 (horário de Brasília) e desembarque previsto para 12h29 (horário Recife).

As aves virão em três caixotes (peso aproximado de 20 quilos), divididos em baias separadas, com dimensões diferentes: 60 centímetros de altura, por 20 de largura e 80 de comprimento; 30 cm, por 25 de largura e 47 de comprimento; e 30 cm, por 30 de largura e 30 de comprimento. Não há ainda previsão de quando serão levadas pelo Cetas para soltura no Sertão do Estado.

Este será o primeiro repatriamento de animais silvestres que o Cetas Tangara recebe do Sudeste. Em 2006, recebeu papagaios do Ceará e do Rio Grande do Norte para o Projeto Papagaio da Caatinga. Também no ano passado, o Centro da CPRH promoveu o repatriamento de 14 araras e dois tucanos, resgatados em ações de fiscalização, para Macapá, no Amapá, a fim de serem reintroduzidas em seu bioma de origem de origem, na região amazônica.

Núcleo de Comunicação Social e Educação Ambiental - NCSEA
Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH


0 comentários:

Postar um comentário