quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Racionamento de água e de energia, oportunidades de negócios lucrativos - Artigo de Cláudio Orlandi Lasso


Um ditado antigo diz: “Enquanto uns choram, outros vendem lenços”. – No mundo, foi e sempre será assim. Fica claro que momentos de crise são também oportunidades de negócios, basta saber enxergá-las!

De 2013 a 2015 o Brasil sofreu muito com a falta de água e até com o risco de faltar energia em algumas regiões do país. Em 2016 como os governos pouco ou nada fizeram e sempre contaram com a sorte e a boa vontade de São Pedro, com a estiagem, a quantidade e a frequência da falta desses recursos tendem a aumentar significativamente em muitas regiões do país e, desta forma, o risco de crises simultâneas de desabastecimento de água e de energia elétrica. Veja que: sem água, não existe a vida, e, sem energia, não existe a qualidade de vida (...) – Já pensou nisso?

No cenário atual, infelizmente não existe a possibilidade de se resolver a crise hídrica a curto prazo, e, por conta disso, a população brasileira já deve ir se preparando para rever seus hábitos de consumo, pois, pode ser que em breve, muitos tenham que se adaptar e/ou ajustar suas vidas a uma nova conjuntura nacional, semelhante à que já vivemos em 2.001, só que bem piorada, tendo agora que economizar água, além de energia elétrica por um longo período.

Segundo a ONU, hoje mais de 1/3 da população mundial vive em regiões de moderado a alto stress hídrico, onde se extrai pelo menos 20% a mais da capacidade natural de reposição do ecossistema. Em torno de 25 anos essa fração deverá aumentar para mais de 2/3. A ONU também prevê que, neste momento, o maior contingente de refugiados do planeta será da categoria ambiental (...)

O chuveiro elétrico está presente na grande maioria dos lares brasileiros das classes C, D e E, predominando fortemente nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. É o eletrodoméstico mais barato que existe numa residência e, também, é o que, diariamente, mais consome água e energia elétrica. Desta forma, é o responsável pela maior parcela das contas de água e de energia dessas famílias, sendo o maior causador do efeito “Horário de Ponta”, pico no consumo energético entre as 18:00h e 21:00h, que aumenta 18% a 35% a demanda energética neste período. Há alguns anos, quando o Brasil ainda não estava em risco de racionamento de energia elétrica, durante o “Horário de Ponta”, o O.N.S. (Operador Nacional do Sistema) já era obrigado a ativar diariamente dezenas de usinas termelétricas para suprir o aumento da demanda diária durante essas 3 horas, produzindo uma energia suja e muito mais cara.

Segundo a ELETROBRÁS, 30% a 50% da conta de energia elétrica de uma residência padrão nessas regiões, são oriundas do alto consumo do chuveiro elétrico. A energia gasta diariamente para aquecimento de água no Brasil é o dobro da utilizada para iluminação pública. Com relação ao consumo de água, segundo o IPT, o chuveiro elétrico é responsável por aproximadamente 30% das contas de água. Na verdade, em muitas regiões, este custo poderá ser dobrado, pois, geralmente, as concessionárias cobram pelo tratamento e distribuição de água e para coletar e tratar o esgoto. Desta forma, é evidente que o chuveiro elétrico é o primeiro equipamento com que as famílias devem se preocupar para economizarem água e energia elétrica no banho diário. Além de ser ecologicamente correto, economizar recursos agora é urgente, e reduzirá muitos impactos.

Hoje pelo menos quatro grandes regiões do Brasil sofrem com a falta de água: O Nordeste como sempre, o Acre, o Distrito Federal e o Espírito Santo. Se for decretado racionamento (obrigatoriedade de se reduzir em percentuais os consumos de água e/ou de energia, sob pena de multas) nessas regiões, dezenas de milhões de pessoas serão obrigadas a desenvolver novos hábitos de consumo nas suas famílias, e, com isso, é prevista uma corrida às lojas para a compra de produtos que promovam economias de água e de energia elétrica. Fique atento! Está aí uma grande oportunidade de um novo e lucrativo negócio, para o atendimento dessas demandas ainda um pouco reprimidas, mas que em breve, com certeza eclodirão fortemente. Muitas empresas se especializarão neste tipo de atendimento e obterão grandes lucros. São diversos os produtos disponíveis que economizam água e energia, e que apresentam interessante playback, pois se pagam em poucos meses de uso, às vezes em até semanas. Veja alguns exemplos:

Economia de:
Soluções simples, inteligentes e práticas:

Água
1 - Vasos sanitários com reservatório acoplado e com dois tipos de descargas: 1 e 2 volumes;
2 - Areadores para torneiras, dispositivo que mistura moléculas de ar ao fluxo de água reduzindo o consumo.
Energia
1 - Lâmpadas de Led são bem mais caras, mas se pagam a médio prazo, pois consomem bem menos energia e duram muito mais do que as incandescentes e até mesmo as compactas;
2 - Geladeiras e outros equipamentos com o selo de consumo “A”, que são mais eficientes.
Água & Energia
1 - ECO Shower Slim, acessório para chuveiro elétrico, de baixo custo e mais de 2 anos de garantia que permite o ajuste do usuário. – Durante o banho, promove economias de mais de 44% de água tratada e mais de 41% de energia, conforme comprovou laudo da UNIFEI, mantendo a temperatura de conforto do banho.

Cláudio Orlandi Lasso (50) é engenheiro eletricista, empresário e pesquisador de tecnologias que promovam o consumo mais racional de água e de energia durante o banho, mantendo a temperatura de conforto para o usuário. É grande incentivador do uso de técnicas verdes e sustentáveis. economizandoenergiaeagua@gmail.com

Engenheiro Cláudio Orlandi Lasso


0 comentários:

Postar um comentário