quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Petrolândia: Joanna conquista público em apresentação em que interagiu com a plateia de Petrolândia

Show da cantora Joanna marcou o encerramento da Festa do Padroeiro de Petrolândia, São Francisco de Assis. Fotos: Assis Ramalho

Uma missa solene na tarde desta terça-feira (04), uma procissão no início da noite, e um show da cantora Joanna marcaram o encerramento da Festa do Padroeiro de Petrolândia, São Francisco de Assis.

Simpática, Joanna autografou CD e posou para fotos com os fãs. Já no palco, a cantora sentiu totalmente a vontade, diante da reação do público, ao desfiar um repertório que teve por base canções de Roberto Carlos e Padre Zezinho.

A cantora carioca Joanna também matou a curiosidade do público com dois sucessos de recentes novelas globais: “Meu Primeiro Amor” (tema de Camila Pitanga na novela “Velho Chico”) e “Tudo Menos Esse Adeus” (tema de Malu Mader em “Haja Coração”).

Joanna falou sobre o desejo realizado de criar um projeto com músicas religiosas, mas destacou que está focada na Música Popular Brasileira (MPB) com shows e composições.

“Existe a Joana que é cantora de Música Popular Brasileira que sempre fui e sempre serei. Esse “Joanna e Oração” foi um projeto isolado na minha carreira porque tive muita vontade de fazer um CD católico não só para revisitar músicas antigas das missas tradicionais, as quais sempre participei deste menininha, como também homenagear Nossa senhora, a quem tenho uma devoção muito grande. “Joanna e Oração” foi o único CD que fiz explicitamente com músicas cristãs”, explicou a cantora recordando que gostava de cantar no coral da igreja e sempre mistura músicas cristãs com as de MPB em seus shows.

Trajetória artística

Joanna consagrou-se como cantora popular através das interpretações de canções românticas, que são as mais recorrentes na sua carreira.

Em 1979 lançou o disco Nascente que vendeu 80.000 cópias. Nesse ano gravou o especial Mulher 80 (Rede Globo) com Maria Bethânia, Elis Regina, Fafá de Belém,Zezé Motta, Marina Lima, Simone, Gal Costa, Rita Lee e as atrizes Regina Duarte e Narjara Turetta do seriado Malu Mulher. Joanna cantou "Seu Corpo" e "Cantoras do Rádio" em coletivo.

Estrela Guia foi lançado em 1980. Seguem-se os álbuns Chama (1981), Vidamor (1982), Brilho e paixão (1983) e Joanna (Você Me Ama)(1984) e Joanna (Estrela Perdida) (1985).

Participa do projeto Nordeste Já (1985) que abraçou a causa da seca nordestina, unindo 155 vozes num compacto com as canções "Chega de Mágoa" e "Seca d´água".

O maior sucesso de vendagem foi o disco auto-intitulado de 1986 que vendeu cerca de um milhão de cópias. Destaca-se Amanhã Talvez e a canção Um Sonho a Dois com a participação do grupo Roupa Nova. Este álbum levou Joanna a turnês pelos países de língua latina, onde alcançou grande sucesso e recebeu vários prêmios. É o seu disco de maior sucesso em Portugal.

No álbum Primaveras e verões (1989), comemorativo dos 10 anos de carreira, gravou canções de compositores habituais daquela fase e também trouxe uma parceria sua com Cazuza: "Nunca Sofri por Amor".

Década de 1990

Na década de 1990, deixou o repertório comercial temporariamente de lado e se dedicou a ambiciosos projetos especiais, lançando os discos Joanna canta Lupicínio(1994), um tributo ao compositor Lupicínio Rodrigues[1] que vendeu cerca de 400 mil cópias e Joanna em samba-canção (1997), que trouxe diversas canções consagradas do gênero. Ambos foram produzidos por Roberto Menescal e este último originou um elogiado espetáculo que obteve excelente aceitação de público e crítica especializada. Prosseguiu com a primeira produção de um álbum totalmente em uma língua estrangeira, Intimidad (1998), no qual interpretou canções consagradas do bolero latino-americano e hispânico.[1] Produzido por Armando Manzanero e gravado totalmente fora do Brasil, este acabou por atingir a marca de 250 mil cópias vendidas.

Lançou os discos Joanna (1991), Alma, Coração e Vida (1993) e Sempre no meu Coração (1995), todos com grande sucesso de vendagem e execução. Inclusive a versão em CD do segundo trouxe duas faixas-bônus: "Água e Vinho" e "Fruto Proibido".

Em 1998 é lançado Intimidad com versões em espanhol. Foi Disco de Platina Triplo.

20 anos: ao vivo (1999) foi o disco duplo comemorativo dos 20 anos de carreira que trouxe regravações dos antigos sucessos entre outros choros e sambas de raiz inéditos. Entre os méritos este contava ser o primeiro disco ao vivo, cujo maior sucesso foi a inédita "Tô Fazendo Falta" que foi uma das 5 mais tocadas desse ano. O disco acabou atingindo a marca de 210 mil cópias vendidas. No ano seguinte, o álbum seria relançado numa versão simples pela gravadora Som Livre, que trouxe parte do repertório e ainda a inédita "Nada Sério" regravada depois no disco seguinte.

Década de 2000
Em 2001 voltou ao repertório mais comercial com o álbum Eu Estou Bem, que mesclou canções inéditas e regravações, investindo numa incursão ao pop. A reedição deste álbum contou com a canção "A Padroeira", tema de abertura da novela homônima, de Walcyr Carrasco.

Em Oração foi gravado ao vivo na cidade paulista de Aparecida e rendeu o primeiro DVD da sua carreira. O conceito foi uma homenagem a Nossa Senhora Aparecida, por quem nutre uma extrema devoção desde pequena. O disco seguinte, Todo Acústico, trouxe regravações dos antigos sucessos entre outras canções consagradas neste formato. O disco contou com as participações especiais de Maria Bethânia, Fagner, Jorge Aragão e do grupo KLB.

Em 2004 comemora os 25 anos de carreira com o disco 25 anos Entre Amigos (Universal Music), e dois anos depois, veio Joanna ao vivo em Portugal, país este onde goza de grande popularidade[2], lançado pela Som Livre, que é o terceiro álbum ao vivo e o segundo DVD; no repertório, alguns fados e regravações dos antigos sucessos. Em 2007, lançou o álbum Joanna em Pintura Íntima que novamente rendeu um álbum de vídeo.

Em 2011 lança Em Nome de Jesus - Joanna Interpreta Padre Zezinho.

Fonte: Wikipédia
Fotos: Assis Ramalho


0 comentários:

Postar um comentário