terça-feira, 4 de outubro de 2016

Na questão agrária, Temer faz país retroceder 50 anos em 5 meses, denuncia Humberto


O governo do presidente Michel Temer (PMDB) decidiu reduzir os recursos para importantes programas federais relativos à questão agrária. Entre os projetos que serão "tesourados" estão o programa Agropecuária Sustentável, que perdeu 33% dos seus recursos e o programa destinado ao reconhecimento de áreas quilombolas, que teve uma redução de 48%.

Segundo o líder do PT no Senado, Humberto Costa, a ação mostra o descaso da gestão peemedebista com a questão agrária no país. “O governo Temer está fazendo o País retroceder 50 anos em cinco meses e coloca à margem, mais uma vez, aqueles que mais precisam. Resolver a questão agrária no país é fundamental para reduzir as desigualdades. Mas Temer dá às costas para o problema e corta recursos de áreas fundamentais, enquanto garante aumento para certas categorias do funcionalismo e verbas milionárias para empresas de comunicação aliadas”, afirmou Humberto.

Pelo orçamento do governo Temer, a Fundação Nacional do Índio (Funai), por exemplo, terá o menor orçamento dos últimos dez anos, pelo menos. O governo peemedebista prometeu para o ano que vem R$ 110 milhões, metade do que a fundação teve em 2007, em valores corrigidos.

Outro projeto importante que terá recursos reduzidos é o Programa de Aquisição de Alimentos, que compra produtos de agricultores familiares para distribuição a pessoas de baixa renda. O programa terá uma redução de 38%, o que levará a um encolhimento de 91,7 mil para 41,3 mil no número de famílias atendidas.

“O governo Temer vem acabando com as políticas públicas importantes. A agricultura é uma das principais responsáveis pela geração de empregos no País. E o que ele faz? Corta recursos dessa área. É uma gestão sem voto e que não tem legitimidade para isso. Mas não vamos recuar. Seguimos na luta, denunciando esses absurdos e conscientizando a população”, afirmou Humberto Costa.

Assessoria de Imprensa Senador Humberto Costa


0 comentários:

Postar um comentário