domingo, 2 de outubro de 2016

Candidato a prefeito de Camutanga é preso em flagrante por crime eleitoral

Polícia Federal já investigava informações de que o candidato teria recebido cerca de R$ 1 milhão em espécie para compra de votos.

O candidato a prefeito de Camutanga Doda Santos foi preso em flagrante na tarde deste sábado (1º) enquanto transitava pela cidade com R$ 12 mil em espécie dentro de um carro. Após ser detido, ele foi encaminhado ao Cartório da 27ª Zona Eleitoral, em Itambé, onde foi indiciado pela PF no artigo 299 do Código Eleitoral (Dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita). Como a prática é crime afiançável, foi arbitrado pela juíza fiança no valor de R$ 80 mil, pagos pelo candidato em dinheiro.

Segundo a promotora de Justiça Eleitoral Fabiana Machado, a Polícia Federal já vinha investigando informações de que o candidato teria recebido cerca de R$ 1 milhão em espécie, que seria usado para comprar votos dos eleitores de Camutanga. Em razão dos fortes indícios de irregularidade, a Polícia Federal representou ao MPPE, que requereu à Justiça a expedição dos mandados de busca e apreensão, cumpridos na sexta-feira (30) pelos promotores de Justiça Fabiana Machado, Patrícia Ramalho e Hodir de Melo, com o auxílio das Polícias Civil e Militar de Pernambuco, na casa de Doda Santos. A busca na casa do candidato resultou na descoberta de R$ 30 mil em espécie e na apreensão documentos que apontam para as práticas de crimes eleitorais.

Mesmo com a prisão de Doda Santos, a participação dele na eleição está mantida. Segundo a promotora de Justiça, após a conclusão do procedimento policial, o MPPE vai impetrar as ações eleitorais respectivas.

MPPE


0 comentários:

Postar um comentário