sábado, 24 de setembro de 2016

Prefeitura de Belo Horizonte investiga quatro casos suspeitos de febre maculosa

A doença é transmitida pelo carrapato estrela

Dois homens, um de 21 anos e o outro de 48 anos, estão internados no Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte, com suspeita de febre maculosa. Agora já são quatro os casos investigados na capital, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA). Os outros dois, pacientes de 35 anos e 84 anos, também foram internados no mesmo hospital.

O homem de 21 anos foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Oeste, no dia 19 de setembro, onde foi indicada a medicação para a doença. Ele disse que teve contato com cavalos em Contagem, na Região Metropolitana. O animal é um dos hospedeiros do carrapato-estrela, transmissor da febre maculosa.

O outro paciente, de 48 anos, foi atendido na UPA Pampulha no dia 22 de setembro e foi transferido nesta sexta-feira (23) para o Hospital Eduardo de Menezes.

Eles disseram que não visitaram a orla da Lagoa da Pampulha e o Parque Ecológico, locais onde os dois pacientes com casos confirmados da doença estiveram. Um deles era o menino Thales Cruz, de 10 anos, que morreu no início de setembro.

A doença
A febre maculosa é transmitida pelo chamado "carrapato-estrela". Esse animal tem como hospedeiros principais os cães, cavalos, as aves e capivaras.

A doença se manifesta repentinamente acompanhada de vários sintomas, como febre alta, dor de cabeça, dores no corpo, náuseas e vômitos.

A doença tem um ciclo de incubação que dura de cinco a dez dias, até se manifestar.

Um dos maiores problemas apontados pelos médicos é o fato de que os sintomas se parecem com os de outras doenças, como a dengue. A demora no diagnóstico pode levar à morte.

G1 MG


0 comentários:

Postar um comentário