sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Petrolina: Homem confessa morte de jovens e grupo tenta agredir


Em depoimento, homem contou detalhes da execução do crime.
Garotas foram mortas quando iam ao trabalho, na Zona Oeste da cidade

Lucas Conceição Santos, de 38 anos, suspeito deassassinar as jovens Taiane Rocha e Bruna Torres, de 19 anos, mortas na segunda-feira (5), confessou o crime com riquezas de detalhes. O segundo envolvido, Lindolfo Nunes da Silva, de 40 anos, foi preso na quinta (8). As garotas foram assassinadas quando iam ao trabalho, no Distrito Industrial, Zona Oeste de Petrolina, no Sertão de Pernambuco.

De acordo com Lucas, as duas amigas foram mortas porque reconheceram o Lindolfo. Até o momento não foi comprovado se houve violência sexual. As informações e a apresentação dos suspeitos foram feitas nesta sexta-feira (9), durante uma entrevista coletiva com os delegados Marceone Ferreira, Sara Machado e Magno Neves, responsáveis pelas investigações.

Prisão
A polícia chegou até os suspeitos após investigar práticas de roubos na região. Com a colaboração da população, a polícia foi informada que Lindolfo vinha praticando assaltos na companhia de um foragido da polícia da Bahia.

Contra Lucas Conceição existiam dois mandados de prisão em aberto pela prática de roubo no Estado da Bahia.


Lucas Conceição foi preso em casa, no bairro Antônio Cassimiro, Zona Norte de Petrolina, na madrugada da quinta-feira (8). Com ele a polícia encontrou o celular de Taiane. A prisão de Lindolfo ocorreu nas imediações de um posto de combustível desativado, no bairro Cohab Massangano, onde o suspeito consumia e vendia drogas.

Os dois foram levados para a 1ª Delegacia de Polícia Civil, onde chegaram a ser cercados por populares que tentavam agredir os suspeitos. A polícia precisou conter a população que tentou invadir a delegacia. A BR-407, na Avenida Sete de Setembro, precisou ser parcialmente interditada.

Familiares das vítimas e advogados estiveram no local. Os suspeitos foram submetidos a exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal (IML) de Petrolina e um esquema de segurança foi montado para que os presos fossem transferidos para a Delegacia de Homicídios, onde foram ouvidos novamente e em seguida recolhidos para a Penitenciária Dr. Edvaldo Gomes.

Crime
De acordo com a delegada Sara Machado, Lucas Conceição confessou o crime, com informações do local, a forma de abordagem das vítimas, como foram imobilizadas e os locais das agressões que resultaram na morte. Para a polícia, a confissão mostra detalhes que só poderiam ser passados por quem realmente teve participação.

Segundo as investigações da polícia, os suspeitos conheciam a rotina das duas amigas. “Uma das vítimas morava na Rua 9 e o Lindolfo na rua 7, onde é conhecido na localidade por ser usuário de drogas e pelas práticas de roubos e furtos. Ele tinha uma área de consumo e venda de drogas que era o posto de combustível, que fica a alguns metros do local do crime. Todos os dias as vítimas eram vistas por ele, fazendo aquele trajeto, no mesmo horário indo para o trabalho", disse a delegada.

Como as vítimas já eram observadas, a polícia acredita que o crime foi premeditado. Investigações apontam que as mortes ocorreram entre 6h30 e 7h.

“Segundo a versão do Lucas, eles estavam fazendo uso de drogas no posto, quando as duas vítimas atravessaram a rua. O Lindolfo já sabia o trajeto que elas faziam e disse que tinha dois celulares para 'ganhar fácil'. Então eles seguiram o trajeto das vítimas, na frente delas para não chamar a atenção. Eles diminuíram o passo, até que as vítimas os alcançam. A Taiane foi abordada com uma faca pelo Lindolfo, que ameaçou Bruna. Ele disse que se ela corresse, mataria a amiga. E assim os dois indivíduos conseguem levar as meninas para o matagal”, detalhou Sara.

Mesmo ocorrendo o latrocínio, com roubo seguido de morte, a polícia diz, que a princípio, a intenção dos envolvidos era a prática do crime sexual. Mas, devido a algumas circunstâncias que estão dentro do depoimento, eles desistiram na hora.

As duas jovens saíram para trabalhar, por volta das 6h30, mas não chegaram até a empresa. Os corpos foram achados pelo tio de uma das vítimas, em um matagal, no Distrito Industrial, perto de uma pista de motocross, a 100 metros de distância da pista que passavam habitualmente a pé. As jovens estavam nuas, com as mãos amarradas com as próprias roupas, e apresentavam perfurações no pescoço. Segundo a perícia, Taiane foi morta com uma perfuração e Bruna com três, todas no pescoço.

Taisa Alencar/Do G1 Petrolina


0 comentários:

Postar um comentário