quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Petrolândia: Hino Nacional é tema do desfile de 7 de setembro







Na tarde desta quarta-feira, 7 de setembro, foi realizado em Petrolândia o desfile cívico, com a participação de escolas municipais e estaduais, Exército, viaturas e motos da Polícia Militar de Pernambuco, viaturas Corpo de Bombeiros Militar, Centro Beethoven de Educação Especial, integrantes e banda dos Debravadores, da Igreja Adventista do Sétimo Dia, grupo da 3ª Idade, Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), AABB Comunidade e Casa das Juventudes.

Encerrado ao por do sol, o desfile foi acompanhado pelo público desde a concentração até o ponto de dispersão, em frente à Prefeitura, onde foi montado o palanque para autoridades municipais.

O ligeiro tropeço na letra do Hino Brasileiro, cantado ao microfone na abertura do desfile, não tirou o brilho dos versos de Joaquim Osório Duque Estrada, apresentado em alas, sob o tema central "Brasil: Grandeza e Expansão do Florão da América".

O evento teve o apoio da Guarda Municipal.

Ver mais fotos
>Álbum 1 - Desfile 7 de Setembro (Fotos: Lúcia Xavier)
>Álbum 2 - Desfile 7 de Setembro (Fotos: Lúcia Xavier)
>Álbum 3 - Desfile 7 de Setembro (Fotos: Assis Ramalho)




Hino Nacional - A letra foi escrita por Joaquim Osório Duque Estrada e a música, elaborada por Francisco Manuel da Silva. O Hino Nacional Brasileiro foi criado em 1831 e teve diversas denominações antes do título, hoje, oficial. Ele foi chamado de Hino 7 de abril (em razão da abdicação de D. Pedro I), Marcha Triunfal e, por fim, Hino Nacional.

Com o advento da Proclamação da República e por decisão de Deodoro da Fonseca, que governava de forma provisória o Brasil, foi promovido um Grande Concurso para a composição de outra versão do Hino. Participaram do concurso, 36 candidatos; entre eles Leopoldo Miguez, Alberto Nepomuceno e Francisco Braga.

O vencedor foi Leopoldo Miguez, mas o povo não aceitou o novo hino, já que o de Joaquim Osório e Francisco Manuel da Silva havia se tornado extremamente popular desde 1831. Diante da comoção popular, Deodoro da Fonseca disse: “Prefiro o hino já existente!”. Deodoro, muito estrategista e para não contrariar o vencedor do concurso, Leopoldo Miguez, considerou a nova composição e a denominou como Hino da Proclamação da República.

Redação do Blog de Assis Ramalho


0 comentários:

Postar um comentário