quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Petrolândia: Eudes Fonseca comenta interrupção de coligação adversária durante inauguração de seu comitê, em entrevista ao Blog e a Web Rádio Petrolândia



Eleito vereador mais votado nas eleições de 2012, com 1.366 votos, e candidato a reeleição neste ano, Dr. Eudes Fonseca inaugurou, na noite de terça-feira (06), o seu comitê eleitoral. A estrutura de apoio à sua campanha é localizado na Avenida Prefeito José Gomes de Avelar, no centro da cidade.


O ato, que contou com a participação do candidato a prefeito Ricardo Rodolfo, atual vice-prefeita e candidata a reeleição Janielma Souza, o atual prefeito Lourival Simões, além de correligionários, tinha tudo para ser realizado em clima de muita festa, mas não foi isso que aconteceu. Na hora em que o dono da festa falava ao microfone, uma caravana de militantes da coligação 'Petrolândia pode mais' passou muito próximo ao local do evento e parou por aproximadamente cinco minutos. O vereador alega ter sido atrapalhado em seu pronunciamento pelo som do paredão e prometeu ir à Justiça.

Revoltado com o episódio, em entrevista à reportagem do Blog de Assis Ramalho e da Web Rádio Petrolândia, Dr Eudes fez duras críticas à militância adversária. Confira abaixo o que disse o veredor.

''Fiz tudo dentro do padrão de normalidade, tudo dentro dos conformes, como a lei obriga. Fiz ofício destinado ao Corpo de Bombeiros, ao TRE, à Polícia Militar e o nosso evento estava 100% legalizado. Infelizmente, eles passaram muito próximo e eu entendi, e todos aqui presentes entenderam, que foi uma maneira que eles encontraram de nos atrapalhar e tentar chamar a atenção, porque passaram a pouco menos de 50 metros de distância de nosso comitê. O prefeito Lourival Simões já tinha se pronunciado, a palavra estava facultada a mim, e foi quando eles jogaram o paredão deles, atrapalhando a minha fala. Passaram mais de cinco minutos parados ao lado do meu comitê, muito próximo do meu palanque, e deixando impossibilitado de fazer o meu pronunciamento. Eu acho isso uma falta respeito, onde sempre fizemos uma política de boa vizinhança, mostrando à população de Petrolândia as nossas propostas e fazendo com que nossos candidatos sejam eleitos. Eu não concordo e estou muito triste porque, como nossa vice-prefeita falou, se um camarada não tem condições de guiar a sua carreata, o seu povo, o seu comitê, como é que ele vai ter condições de ser o prefeito do nosso município? Eu tenho certeza que amanhã eles vão jogar a culpa para os militantes, e dizer que passaram lá sem querer, mas eles me atrapalharam. Quinta-feira (8) eu vou procurar os meus direitos, porque eu fiz tudo certinho e eles tentaram me atrapalhar, e isso é uma falta de respeito, e eu espero que todos os cidadãos de bem enxerguem isso e veja o perfil desses candidatos, que são pessoas que trabalham em cima de prejudicar as pessoas", frisou o dentista.

Dr Eudes afirma que o fato pode ter sido motivado por inveja, já que na eleição de 2012 ele foi eleito com maior número de votos do município e isso teria causado ciúmes.

''Eu só interpreto isso como recalque político, por conta de que nas eleições de 2012 eu fui majoritário, tirei uma votação recorde em nosso município, onde o rapaz lá [referindo-se a Fabiano] trabalhou, fez uma eleição [com campanha] de prefeito e acabou ficando em 2º lugar [Dr. Eudes obteve 1.366 e Fabiano 1.166]. Então, eu entendo que pode ter sido um recalque, inveja, não sei o quê. [Eleito] pela primeira vez, só com minha amizade, com o meu carisma, com meus amigos, com minha família, ganhamos as eleições em 2012 deixando um veterano, com a máquina na mão, em segundo lugar''.


Sobre o acontecido, em sua fala durante a inauguração do comitê, a atual vice-prefeita e candidata a reeleição, Janielma Souza,  disse ter sido uma falta de respeito por parte da militância da coligação adversária.

''Essa falta de respeito não foi só com esse palanque que está aqui, mas com as pessoas que moram aqui ao redor, que não têm a obrigação de estar passando por todo esse transtorno de ouvir tanto barulho. Você [Dr. Eudes] programou estar aqui, eles podem ter programado em estar na Quadra, mas aí eu pergunto: quem não está sabendo conduzir o caminho de sua militância no trajeto de visita a uma Quadra, vai saber conduzir mais o quê?'', questionou, sob o aplauso da militância.


O candidato a prefeito, Ricardo Rodolfo também repudiou o episódio.

''Eu sou novo na política, mas eu tenho certeza que baixaria ninguém quer em Petrolândia. Eu acredito em uma política decente, eu acredito em uma política alegre e com responsabilidade. Eu tenho certeza, Eudes, que esse constrangimento que você passou é realmente um sinal do que é que nós estamos vendo em Petrolândia. Estamos aqui como famílias, como juventude, e desaprovamos, não só o recalque, mas o desespero dessas pessoas. Eu acho que está batendo o desespero. Eu acho que a turma pensou que o pastor ia ficar rezando na Igreja, mas não. O meu lugar é nas ruas de Petrolândia. Eu quero dizer a vocês, jovens, que certamente há uma fofoca, há um dessabor, uma intriga ,por causa da nossa popularidade. Não quero ser prefeito de todo jeito, forçado ninguém vai ser prefeito. Todos que são candidatos poderão ser eleitos pelo voto popular, pelo bom nome e pela forma saudável de fazer política. Todos que desejam ser eleitos devem ser de forma honesta, de forma justa, e nada forçado dá certo. Mas acreditamos que nós vamos dar uma resposta a todo tipo de agressão, andando corretamente em Petrolândia, falando corretamente da política e falando de propostas para a cidade''.

Redação do Blog de Assis Ramalho
Fotos: Assis Ramalho


0 comentários:

Postar um comentário