quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Livro-bomba de Cunha vai à gráfica no dia 15 de novembro


Eduardo Cunha passou a madrugada trabalhando em seu primeiro livro. Escreveu roteiro, sinopse e ordem dos capítulos. O livro que contará todos os bastidores do impeachment constrangerá, em 300 páginas, antigos e novos adversários. Cunha é disputado por três editoras. Esteve com uma nesta terça (13) e se reunirá com outras duas na quinta (15). Obstinado, quer a obra nas prateleiras de Natal — o material irá para a gráfica em 15 de novembro, Proclamação da República. A informação é de Natuza Nery, na coluna Painel da Folha de S.Paulo desta quarta-feira.

Cunha – segundo a colunista --, não encerrará a carreira de escritor com o impeachment. Fará um segundo livro “mais picante”, promete a amigos, e fala em redigir um terceiro sobre o dia de sua cassação.



Na terça, ele se recusou a receber antigos aliados que votaram por sua cassação. Disse a alguns: “Quem votou contra mim não precisa me procurar”.

Um interlocutor comum de Cunha e Michel Temer questionou se o ex-deputado queria transmitir alguma mensagem ao presidente. Ouviu que a hora dos recados já havia passado, conclui Natuza.

Por Anna Ruth
Em Congresso Nacional, Slideshow


0 comentários:

Postar um comentário