quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Três detidos e 135 aves apreendidas em operação da CPRH no Mercado do Cordeiro

Ao todo, sete pessoas foram autuadas e as multas por comercialização de animais silvestres chegaram a R$ 50 mil (Fotos: CPRH/Divulgação)

A Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) concluiu nesta terça (2) a autuação de sete pessoas envolvidas com a comercialização ilegal de pássaros no Mercado do Cordeiro. Ao todo, os envolvidos irão pagar R$ 50 mil em multas. Três deles foram detidos e podem pegar entre seis meses e um ano de detenção.

A autuação é resultado de uma operação ocorrida no último domingo (31), no Mercado do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife, que resultou na apreensão de 135 aves, entre elas cancões, galos de campina, craúnas, canários, papa-capins, entre outros.

A multa por comercialização é de R$ 1 mil por espécie, podendo chegar a R$ 10 mil se a mesma estiver em risco de extinção.

Ao lado de policiais da Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma), os fiscais da CPRH chegaram ao local ainda de madrugada. Por volta das 4h30, agentes à paisana identificaram os infratores, que foram detidos logo no início da operação.

Dos sete autuados, três "viajantes", como são conhecidos os traficantes de pássaros, foram detidos pela posse de um alto número de animais: um deles com 12 aves e outros dois com cerca de 30, cada.

ANIMAL NÃO É BRINQUEDO - Tentando justamente coibir o comércio de animais silvestres, a CPRH lançou em julho a campanha "Animal não é Brinquedo", que estimula a doação de brinquedos para serem utilizados em ações de educação ambiental no combate ao cárcere privado.

A campanha pretende, entre outras ações, promover a troca de brinquedos por animais que estejam sendo mantidos em cativeiro, a grande maioria deles por crianças, que utilizam as espécies como "brinquedos".

A campanha inicialmente começou a coletar os brinquedos nas unidades do Detran nos shoppings Recife, Plaza, Tacaruna e Guararapes. Mas outros órgãos aderiram à iniciativa, como Tribunal de Justiça, OAB, Assembleia Legislativa de Pernambuco, Celpe e Conselho Regional de Engenharia.

Em cada um deles, há "gaiolas" da CPRH, que antes serviam para aprisionar animais e agora recebem os brinquedos doados. A campanha segue até outubro.

Álvaro Maia
Núcleo de Comunicação Social - CPRH


0 comentários:

Postar um comentário