quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Situação hídrica do Semiárido é crítica; PE tem pior situação com 25 dos 69 reservatórios em colapso ou esgotados


O Instituto Nacional do Semiárido (Insa), Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) divulgou nesta quinta-feira, dia 18, boletim atualizado com monitoramento do volume de água disponível nos reservatórios da região semiárida brasileira. Segundo os dados, o volume armazenado é de apenas 23% da sua capacidade total de acumulação. O estudo mostra que a situação hídrica no Semiárido continua crítica.

De um total de 452 reservatórios analisados, dos quais se tem informações disponíveis, 54% já entraram em colapso ou se encontram em estado crítico. Os dados ainda apontam que as regiões semiáridas cearense, paraibana, pernambucana e potiguar são as mais afetadas. De acordo com o boletim, 20% dos reservatórios monitorados têm seus volumes oscilando entre 10 a 30% e apenas 14% têm seu volume acima de 50%. 

Dos estados da região que possuem informações de volumes dos seus reservatórios, constatou-se que Pernambuco é o que se encontra em situação mais crítica, de um total de 69 reservatórios 25 se encontram em colapso com capacidade de armazenamento igual a zero. Já no estado de Sergipe de 10 reservatórios monitorados apenas 01 está em situação de colapso. 

Os dados foram coletados com base nas informações divulgados nos sites da Agência Nacional de Águas (ANA), Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (COGERH), Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DNOCS), Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte (SEMARH-RN). 

Acesse o boletim na íntegra>Boletim Insa Agosto/2016

Texto: Ermaela Cícera Silva Freire E-mail: ermaela.freire@insa.gov.br 
Edição: Rodeildo Clemente (Ascom do Insa) 


0 comentários:

Postar um comentário