quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Paulo Câmara e Ana Luiza lançam o programa Horta em Todo o Canto


A promoção de hortas orgânicas em espaços públicos do Estado como recurso para estimular o consumo de alimentos saudáveis. Foi com esse objetivo que o governador Paulo Câmara e a primeira-dama Ana Luiza lançaram, nesta quarta-feira (24.08), o programa Horta em Todo Canto. Coordenada pela Câmara Intersetorial de Segurança Alimentar e Nutricional de Pernambuco (CAISAN-PE), a iniciativa promove o cultivo de alimentos sem a utilização de agrotóxicos em equipamentos da administração estadual. Um ato no Palácio do Campos do Campo das Princesas, área central do Recife, marcou a entrega da primeira horta - implantada nos jardins do prédio histórico. A iniciativa foi idealizada pela primeira-dama.


"Esse projeto é um exemplo importante que tem o apoio do Legislativo, do Judiciário e da universidade (UFRPE). A partir desse programa, o servidor pode dedicar alguns minutos do seu dia para cuidar de produtos que vão gerar segurança alimentar", destacou Paulo Câmara. O chefe do Executivo estadual ressaltou que o baixo custo para a implantação também deve contribuir para a proliferação das hortas em outros espaços do Governo de Pernambuco. "Foram investidos pouco mais de R$ 4 mil, através do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), para aquisição das primeiras sementes, que serão distribuídas em outros órgãos da administração pública", informou. .

As hortas comunitárias do projeto também vão inspirar os pernambucanos a desenvolverem boas práticas ambientais e cívicas. A partir dessa iniciativa nos espaços públicos, o Governo do Estado pretende criar um efeito mobilizador. E, com isso, levar a atividade a outros setores da sociedade local. Além de unir as pessoas e aumentar a qualidade dos envolvidos, as hortas alteram a paisagem, proporcionando uma integração com a natureza em grande centros urbanos. "A iniciativa faz toda a diferença na rotina das pessoas. A gente dá o pontapé inicial com o objetivo de contribuir para que essa experiência seja replicada em diversos espaços", grifou Paulo Câmara.

Além da horta do Palácio do Campo das Princesas, o cronograma prevê a entrega, nos próximos meses, de outros quatro canteiros: nos hospitais Otávio de Freitas e Ulysses Pernambucano, ambos no Recife; no Centro de Convenções de Pernambuco, localizado em Olinda; e no IPA, onde funcionará a horta-escola.

Os alimentos cultivados nas hortas do projeto não podem ser comercializados e a sua produção poderá ser utilizada pelos servidores e também por usuários do órgão participante. No programa, serão cultivados 27 tipos de hortaliças, temperos, verduras e legumes. Para Ana Luiza, a iniciativa congrega várias experiências sociais. "Temos reeducandos que estão aprendendo um ofício, além dos pedidos de inclusão de hortas na Funase e no programa Mãe Coruja. Com isso, a gente quer deixar uma semente para ter uma sociedade melhor no futuro", destacou a primeira-dama do Estado.

O presidente do IPA, Gabriel Maciel, explicou que as hortas do projeto podem ser implantadas em diferentes espaços físicos, ressaltando que as espécies escolhidas para o cultivo são adequadas para a situação. "Essa é uma ação educativa que visa a segurança alimentar e nutricional. E, no caso do IPA, que é uma instituição de pesquisa, vamos manter um modelo para orientar os voluntários", detalhou o gestor.

Fotos: Edmar Melo/SEI


0 comentários:

Postar um comentário