segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Nunca se viu tamanho retrocesso na educação deste país, afirma Humberto

"Estão acabando com a oportunidade de milhares de jovens que planejavam estudar em outro país e voltar ao Brasil com ainda mais bagagem para se inserir no mercado de trabalho ou desenvolver projetos de pesquisa", diz o senador (Foto: Alessandro Dantas/Liderança do PT)

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), disse que o governo interino do presidente Michel Temer (PMDB) está atuando para “desmontar” o ensino público no país. A declaração tem como base a decisão recente do ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM-PE), de cancelar bolsas do programa Ciência Sem Fronteiras e atrasar repasse de recursos para a Rede Nacional de Pesquisas.

“Nunca houve, em tão pouco tempo, tanto retrocesso na educação nacional. O governo golpista está acabando com programas, como o Ciência sem Fronteiras, que é referência no mundo todo e que é aprovado pela população. Fora isso, Temer e Mendoncinha estão deixando universidades e milhões de estudantes à míngua”, alertou o senador.

Criado na primeira gestão da presidente Dilma Rousseff (PT), o programa Ciência sem Fronteiras enviou mais de 100 mil estudantes do ensino superior a universidades de 54 países. Segundo dados do programa, 26,4% dos intercambistas são negros e mais da metade é de famílias com renda de até seis salários mínimos.

"Estão acabando com a oportunidade de milhares de jovens que planejavam estudar em outro país e voltar ao Brasil com ainda mais bagagem para se inserir no mercado de trabalho ou desenvolver projetos de pesquisa. Temer retirou dos estudantes um sonho de um futuro melhor e nos faz voltar ao passado, quando curso fora do país era realidade apenas para jovens ricos e brancos", afirmou o líder do PT.

INFORMÁTICA

Humberto também criticou o atraso nos repasses para a Rede Nacional de Pesquisas, que é responsável por levar conectividade a mais de 1.200 campi universitários. A falta de recursos deve afetar diretamente 740 instituições de ensino do interior do país. Até quatro milhões de pessoas serão atingidas diretamente pelos cortes, como professores, pesquisadores, estudantes e pacientes de hospitais universitários.

“A gente está falando de instituições de ensino importantes, que desenvolvem pesquisas e que precisam estar conectadas ao mundo todo. Não dá para pensar em universidade nos tempos de hoje sem internet”, afirmou o senador.

Para Humberto, Temer age "na contramão do mundo". “Os governos Lula e Dilma ampliaram o ensino superior, dando oportunidade para vários jovens. O governo Temer faz o contrário. Enquanto o Chile celebra a garantia do ensino superior gratuito em universidades públicas e particulares, o governo Temer quer sucatear a nossa rede pública de universidades”, denunciou Humberto.

Assessoria de Imprensa Senador Humberto Costa


0 comentários:

Postar um comentário