domingo, 21 de agosto de 2016

Atentado durante casamento na Turquia deixa 30 mortos

Corpos de vítimas são cobertos após explosão em Gaziantep, na Turquia (Foto: Eyyup Burun/DHA via AP)

O número de mortos no atentado contra um casamento na cidade de Gaziantep, no sudeste da Turquia, subiu para 30, segundo um comunicado emitido neste domingo (data local) pelo escritório do governador provincial.

"Até agora, no ataque 30 cidadãos morreram e há 94 feridos", indica o comunicado, divulgado na página da instituição na internet.

Em nota, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, afirmou que o Estado Islâmico (EI) é o "provável autor" do atentado. O líder comparou o atentado com os ataques do proscrito Partido de Trabalhadores de Curdistão (PKK) e o fracassado golpe militar do dia 15 de julho passado.


"Este jogo canalha que tentam em Gaziantep não vai funcionar. É preciso decifrar as intenções verdadeiras após estas provocações a nossa nação. Não vamos comprometer a unidade, convivência e fraternidade", acrescenta o comunicado.

Ele lembrou que nesta cidade, uma das maiores do sudeste da Turquia, situada a apenas 50 quilômetros da fronteira síria, "convivem turcomanos, curdos e árabes".

O partido esquerdista pró-curdo HDP disse em comunicado que os noivos que se casavam eram membros de sua legenda.

"Condenamos quem realizou este ataque e as forças e ideologias por trás de suas ações", diz a nota enviada à imprensa.

O vice-primeiro-ministro Mehmet Simsek destacou em discurso, transmitido pela emissora "NTV", a "localização geográfica" de Gaziantep, perto da fronteira síria e retaguarda para vários grupos armados sírios.

Simsek também ressaltou a "convivência" de diversos grupos étnicos, como turcos, curdos e árabes, na cidade e louvou a resposta da população que se posicionou imediatamente contra o ataque.

O vice-primeiro-ministro pediu que não fossem feitas "provocações", mas não disse também sobre suspeitas de quem poderia estar por trás do atentado.

O partido esquerdista pró-curdo HDP disse em comunicado que os noivos que se casavam eram membros de sua legenda.

"Condenamos quem realizou este ataque e as forças e ideologias por trás de suas ações", diz a nota enviada à imprensa.

Suspeita-se que o atentado foi cometido por um suicida, segundo disse à citada emissora Mehmet Erdogan, um deputado do partido governamental AKP.

Em toda a região do sudeste, que abriga uma maioria de população curda, existe há anos uma forte tensão entre os grupos de esquerda próximos ao HDP e aos movimentos islamitas na órbita do Estado Islâmico.

Assim, as vítimas do primeiro atentado suicida do EI na Turquia, em julho de 2015, eram ativistas da esquerda pró-curda reunidos em Suruç, na província de Sanliurfa, vizinha aGaziantep.

Da EFE


0 comentários:

Postar um comentário