quinta-feira, 21 de julho de 2016

Petrolina: Comunidade do Alto do Cocar cobra novos matadouro e Ceape

Moradores deram testemunhos sobre os problemas do Alto do Cocar​ após fechamento das estruturas públicas (Foto: Jonas Santos​)

O pré-candidato a prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, e o senador Fernando Bezerra reuniram-se na noite desta quarta-feira (20) com um grupo de moradores do Alto do Cocar para ouvir sugestões e críticas sobre a cidade. O debate, que integra o ciclo de conversas da Tribuna 40, contou com cerca de 200 pessoas e teve como principais alvos de reclamação o fechamento do matadouro público e do Centro de Abastecimento de Petrolina (Ceape), além da precariedade do sistema municipal de saúde.

Boa parte dos moradores que deram testemunho sobre os problemas do Alto do Cocar falou do prejuízo causado a comerciantes, marchantes, permissionários e consumidores com a desativação do abatedouro. O líder comunitário Gilberto Castro lembrou que as pessoas estão inseguras sobre a procedência da carne consumida em Petrolina e citou o desespero dos trabalhadores que viviam da produção e abate de bovinos, ovinos, suínos e caprinos. “Tem muito marchante e feirante quebrado. Toda a população do Alto do Cocar e de bairros vizinhos está insegura com a qualidade dessa carne que está comprando e ainda reclamam porque o preço aumentou muito”, explicou o comunitário.

Sobre o Ceape, os moradores condenaram o fato de a Prefeitura não ter dado uma opção para trabalho dos permissionários. O fechamento dos dois equipamentos públicos foi questionado também por Miguel Coelho, que criticou a condução arbitrária do processo. “Durante oito anos não foi realizado nenhum investimento nem no matadouro nem no Ceape. Simplesmente chegaram lá com as máquinas e passaram por cima de tudo, sem pensar nas pessoas. Acabaram porque não houve competência para garantir um serviço de qualidade, com higiene e infraestrutura”, condenou o pré-candidato do PSB.

O senador Fernando Bezerra acrescentou ainda que a situação do abastecimento de produtos em Petrolina vive um retrocesso histórico. “Não se pode admitir simplesmente fechar um matadouro e destruir o Ceape sem dar alternativas. Eu nunca vi isso. Será que a melhor decisão era simplesmente destruir ou desativar? O Ceape deveria ter sido modernizado e o matadouro revitalizado e reestruturado”, resumiu o senador socialista.

Assessoria de Imprensa Miguel Coelho


0 comentários:

Postar um comentário