sexta-feira, 29 de julho de 2016

Educação profissional: Brasil e Alemanha discutem possibilidades de cooperação



Representantes do Ministério da Educação e do governo alemão reuniram-se na tarde da última quarta-feira, 27, para retomar as discussões sobre a cooperação entre Brasil e Alemanha na educação profissional. A reunião ocorreu na sede da embaixada daquele país, em Brasília, e teve a participação do secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Marcos Viegas, e do embaixador da Alemanha no Brasil, Dirk Brengelmann.

Um dos assuntos tratados foi o da criação de grupo de trabalho para analisar a viabilidade de implantação em instituições brasileiras de um projeto-piloto de aprendizagem baseado no sistema alemão. A proposta inicial é que o grupo seja composto por representantes da rede pública de educação profissional, do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), da Câmara de Comércio e Indústria da Alemanha no Brasil, do setor da indústria e de trabalhadores.

“Todas as iniciativas que tenham como foco a elevação da qualidade das nossas escolas, sobretudo as que contemplam o currículo da formação profissional, nos interessam”, destacou Viegas. “Trata-se de uma agenda estratégica para o Brasil, que acreditamos ter potencial para gerar novas possibilidades para o sistema de ensino no país”.

Para Dirk Brengelmann, é preciso entender as particularidades dos sistemas alemão e brasileiro e procurar áreas de interesse comum. O embaixador apontou que a principal diferença entre os dois sistemas é a formação com foco no aprendizado prático. “Na Alemanha, o estudante passa mais de dois terços da sua formação atuando na indústria e o restante do tempo na escola; ou seja, a prática é um componente muito forte no currículo”, ressaltou.

Também participaram da reunião o diretor de Integração das Redes de Educação Profissional da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), Gustavo Estevão; o assessor especial da Setec, Franclin Nascimento; e o conselheiro para Assuntos Científicos e Intercâmbio Acadêmico da embaixada alemã, Thomas Schröder.

Sistema dual – O modelo de educação profissional da Alemanha tem como ponto central a busca da teoria aliada à prática no processo de ensino-aprendizagem. Naquele país, as instituições de ensino profissional atuam na transmissão do conhecimento teórico da profissão. Já a empresa é a responsável por proporcionar o conhecimento prático, por meio da inserção do estudante nas atividades cotidianas dos processos de produção.


MEC
Assessoria de Comunicação Social, com informações da Setec


0 comentários:

Postar um comentário