Custom Search
quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Policial Militar é morto a tiros durante assalto na Bahia



Ainda não se sabe se ele reagiu e tentou atacar os criminosos


Um policial militar foi morto a tiros na noite desta terça-feira (7) na região do Vale dos Lagos, perto da avenida São Rafael, segundo informações do posto policial do Hospital Roberto Santos. Lenildo Santos Costa, 37 anos, foi morto com um tiro no queixo e outro no olho. O PM era lotado na 23ª Companhia Independente de Polícia Militar, em Tancredo Neves.

Segundo informações do posto policial, Lenildo estava com os familiares em uma pizzaria quando sofreu uma tentativa de assalto. Segundo as primeiras informações, ele teria reagido e trocado tiros com os ladrões, ferindo um deles. Os bandidos fugiram de carro, um Gol preto, levando o comparsa ferido.

De acordo com o major Mattos, da 50ª Companhia Independente de Polícia Militar (Sete de Abril), o crime aconteceu na rua, do lado de fora do estabelecimento. Um segundo baleado estaria internado no Hospital São Rafael, o que ainda não foi confirmado pela polícia.

O barulho dos tiros assustou os moradores da região nesta noite. A polícia ainda não identificou os criminosos. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso.

Greve na Bahia
A Polícia Militar está parcialmente em greve na Bahia. Nesta terça-feira, mais uma rodada de negociações terminou sem acordo entre PMs e governo. O que teria impedido o fim da greve foi a data de pagamento da Gratificação por Atividade Policial (GAP) IV. As associações queriam que o pagamento fosse realizado em 2012, mas o governador diz que só pode começar a pagar a GAP IV a partir de 2013.

Na reunião, houve avanço em três pontos. Ficou decidido que os 12 PMs que tiveram a prisão decretada não irão para presídios federais, aqueles que participaram da greve de forma pacífica não serão punidos, e os policiais que cometeram atos de vandalismo durante a paralisação responderão a processos administrativos.

Agora, as associações vão apresentar à categoria as propostas discutidas na reunião. A Associação de Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (Aspra), que decretou greve por tempo indeterminado em assembleia no último dia 31, não participou da reunião.

Nestes 8 dias de greve, as mortes em Salvador e Região Metropolitana já chegam a 120, segundo contagem não oficial.


0 comentários:

Postar um comentário